A Central de Orientações da Vacina Covid-19 foi implementada em uma parceria entre a FISMA – através do Centro de Referência em Cuidados em Enfermagem EnfClin e a Secretaria Municipal de Saúde, no dia 20 de janeiro de 2021. A Central surgiu como responsabilidade social do Centro EnfClin, no sentido de organizar tecnicamente e repassar as informações sobre o processo de vacinação em Santa Maria.

Ao fechar 11 meses no dia 20 de dezembro de 2021, foram contabilizados mais de 48 mil atendimentos efetuados. O serviço é realizado por acadêmicos de Enfermagem estagiários da FISMA, UFN E UFSM com acompanhamento das enfermeiras Leise Flores – responsável técnica EnfClin e Daiany Donaduzzi – superintendente de Atenção Básica do município.

Atendimentos

Os dados contabilizados no quadro abaixo, identificam os atendimentos realizados entre o período de 22 de janeiro a 20 de dezembro de 2021.

O coordenador geral do CISEPES e Diretor de Inovação e Desenvolvimento da FISMA, Marcos Hübner e a enfermeira Leise Flores – responsável técnica do Centro EnfClin, relatam sobre o impacto do serviço nestes quase 12 meses.

Quais foram as principais dúvidas da população ao longo deste período?

– Datas, horário e locais de vacinação por perfil do público. Este ponto foi muito complexo pois nos primeiros meses havia uma ordem de prioridade: exemplo: pessoas acamadas, idosos em faixa etária diferentes definido por um cronograma pré-estabelecido. Esta dinâmica definida por políticas do Ministério da Saúde, obviamente coerente, demandavam uma comunicação muito eficiente, sob pena de tumultuar as instituições públicas de atendimento a saúde da população, que naturalmente não tinha um sistema de comunicação organizado. Além disso, a pandemia intensificou outras demandas que não só o processo de vacinação.

– Cadastramento de acamados: nos primeiros dois meses, a Central EnfClin – FISMA, auxiliou diretamente no cadastramento de pessoas acamadas, o que permitiu orientar e auxiliar no planejamento e execução de ações por parte da secretaria de saúde.

– Informações sobre as características de cada vacina: a medida em que novas vacinas eram autorizadas pelos respectivos órgãos de regulação e pelo Ministério das Saúde, nos deparávamos com as diferenças prescritivas de cada uma. Exemplo: necessidade de fazer ou não a segunda dose com a mesma referência da primeira; a diferença do tempo de intervalo entre uma e outra, o que ao longo  do ano foi sendo modificado.

– Informações prescritivas para gestantes. Neste caso, houve uma alta demanda em razão das diferentes prescrições trazidas pelos respectivos laboratórios fabricantes. Este público exigiu dos atendentes um conhecimento específico, pois haviam muitas dúvidas sobre os riscos em que gestantes estaria exposta.

– Número de pessoas que não receberam a segunda dose, e, passado um longo período retornaram na busca de informações.

– Terceira dose: alta demanda devido a toda complexidade envolvida, uma vez que as bases já não eram mais as mesmas de fases anteriores da vacinação. Exemplo: escalas de grupos prioritários, intervalo de tempo entre as doses; qual a vacina indicada (laboratórios fabricantes).

– Perda do cartão de vacinação: esta demanda se ampliou a medida em que ocorreu a liberação do comércio em geral, onde se exigiu a apresentação deste documento para o acesso a estabelecimentos, inclusive viagens para outros estados e países.

– Informações sobre morbidades agravantes, relatos de sintomas e solicitação de encaminhamento ou procedimentos técnicos, entre outros.

Em suma: todas as demandas exigiam a busca de conhecimento e informações diárias, para que fosse possível manter a comunicação entre a secretaria de saúde e suas unidades estratégicas, o Enfclin – FISMA e a população de Santa Maria.

Qual o impacto percebem que o projeto causou na sociedade? 

A principal contribuição foi dar celeridade ao processo de forma mais organizada. Assim que as vacinas foram aprovadas e o Ministério da Saúde iniciou um diálogo com as Secretarias de Saúde dos municípios, Santa Maria procurou imediatamente criar as condições para um bom atendimento a população.  Isto ainda no dia 31 de dezembro de 2020. A previsão era de que no dia 16 de Janeiro de 2021 a cidade teria as primeiras doses para grupos prioritários. Idosos acima de 80 anos e acamados. No dia 16 de janeiro, a central estava estruturada. Incontestavelmente, a parceria (termo de cooperação) entre a FISMA e a Secretaria de Saúde foi fundamental para que o processo iniciasse o mais breve possível e com o máximo de eficiência. Nada era mais importante do que o tempo e a qualidade do plano de ação e de atenção as pessoas.

Ainda em fevereiro, já havia a previsão de um agravamento da pandemia em razão de novas variantes identificadas no Brasil. A ideia era vacinar o máximo de pessoa possíveis, a partir dos mais crônicos e vulneráveis, para que chegássemos no auge da contaminação com mais pessoas vacinadas no mínimo com uma dose. De alguma forma isso foi feito.

A comunicação em saúde sempre foi um desafio no âmbito do SUS, em uma pandemia esse desafio se intensifica. A Central da EnfClin – FISMA foi criada para potencializar e qualificar esta comunicação, direcionando os usuários para os pontos de vacinação disponíveis e orientando em relação à vacinação, acolhendo dúvidas, críticas, elogios e sugestões. Neste sentido tornou-se um espaço de referência no processo de comunicação em saúde.

Quais foram os resultados alcançados nos 11 meses? 

Foram quase 50 mil atendimentos realizados, e se medirmos pela evolução no quadro de internações em Santa Maria, dados este que indica a fase mais grave e mórbida da contaminação, veremos que ainda em julho deste ano o impacto da vacinação era visível. Sabemos que a medida em que a vacinação avança, os indicadores que pressionam o sistema de saúde apresentam melhorias. É imperativo dizer que a celeridade e a eficiência das ações de imunização, não só salvou vidas, que é o mais importante. Também permitiu antecipar o início da retomada da economia e do afrouxamento das regras de controle de circulação e das relações sociais. Portanto, a Central EnfClin – FISMA está sendo um importante aliado da secretaria de Saúde de Santa Maria no cuidado a saúde da população e na consequente retomada da economia.

Contatos

A Central de Orientações da Vacina Covid-19 atende de segunda a sexta-feira das 8h às 12h e das 14h às 17h.
Os contatos para informações são:

Telefones: (55) 3025-9733, 3025-9744, 3025-9732 / 3025-9724, 3025-9727 ou 3025-9750
WhatsApp: (55) 9 9941-7717 ou 9 9608-9860
Postagens Recentes

Deixe um Comentário