Neste mês de maio, o Centro de Referência em Processos Clínicos em Psicologia – PsicoClin, completou seu primeiro mês de atuação. O serviço faz parte do Centro Integrado de Serviços, Ensino, Pesquisa, Extensão em Saúde (CISEPES) mantido pela FISMA (Faculdade Integrada de Santa Maria).

A iniciativa tem como objetivo prestar apoio psicológico on-line, frente às situações decorrentes ou potencializadas durante a pandemia Covid-19. Por meio do serviço oferecido via PsicoClin, é possível obter os primeiros cuidados psicológicos.

Hoje, a equipe que realiza este trabalho, é composta por quatro psicólogas registradas no Conselho Regional de Psicologia (CRP), profissionais experientes e atuantes na área clínica: Janaína Strenzel e Bruna Almeida, Tainan Garcia e Clarice Vargas.

Confira na íntegra, a entrevista realizada com a psicóloga Bruna Almeida, sobre o primeiro mês de atuação da PsicoClin

Reportagem – Bruna, em primeiro lugar, gostaria que tu nos contasse como tem sido o trabalho da PsicoClin? As conversas com os pacientes são apenas via chat?

O serviço de apoio psicológico da Psico-Clin está amparado na proposta de “Primeiros Cuidados Psicológicos” que consiste em ações de apoio psíquico e social às pessoas em situação de sofrimento devido a situação atual da pandemia.  Como protocolo para atendimento, o serviço adotou o protocolo RAPID, desenvolvido pela Escola de Saúde Pública Johns Hopkins, que é avaliado como um dos modelos mais relevantes de Primeiros Socorros Psicológicos e em pesquisas realizadas, demonstra que reduz significativamente a ansiedade em pessoas que passaram por situações traumáticas.

As conversas com as pessoas que buscam o serviço de apoio são iniciadas via chat e podem ser realizadas por chamada de vídeo. Algumas pessoas preferem ser atendidas através de chamada de vídeo, enquanto outras optam pelo atendimento via chat, muitas vezes pelo fato que não disporem de um espaço privativo para o atendimento com o profissional.

Reportagem – Vocês chegam a ter uma média de atendimentos por dia, ou costuma variar? Chega a ter um período da semana que tu observa que aumenta ou diminui essa demanda?

Ainda não conseguimos identificar quais são os horários e dias de mais procura. Como o serviço funciona das 8h da manhã até às 20h da noite, temos recebido contato em ambos os turnos.

Reportagem – O momento atual em que passamos, traz alguma demanda mais frequente?

A população que tem procurado o serviço de apoio de modo geral, refere que tem se sentido mais ansiosa ou deprimida do que habitualmente em virtude das mudanças significativas que a pandemia impôs ao modo de vida da maioria das pessoas. Tenho observado que surgem medos em relação a si ou seus familiares a adoecerem; adaptações ao ensino remoto e ao trabalho; preocupações com as questões econômicas, como a perda de renda e incertezas diante do futuro.

É importante destacar que a Organização das Nações Unidas apresentou na segunda quinzena do mês de maio deste ano, um relatório que indica o impacto global da pandemia do Covid-19 e recomendações para minimizar os impactos. Nesse relatório, apontam que a saúde mental de populações específicas tem sido afetada de diferentes formas pela pandemia do Covid-19, dentre eles gostaria de fazer um destaque aos profissionais da saúde que trabalham na linha de frente e as crianças.

Os profissionais da saúde, no Canadá 47% relataram necessidade de apoio psicológico, enquanto na República da China, a assistência médica a trabalhadores de saúde relatou altas taxas de depressão (50%), ansiedade (45%) e insônia (34%).

O relatório também indica que o estado emocional e o comportamento das crianças também foi afetado em virtude do distanciamento social. Em um estudo na Itália e na Espanha com pais sobre as dificuldades dos filhos durante o distanciamento social, os pais relatam que perceberam os filhos com sentimentos de solidão (31%), nervosismo (38%), inquietação (39%), irritabilidade (39%) e dificuldade de concentração (77%).

Reportagem – Existe algum fator de alerta, em geral, que a pessoa possa se dar conta de que não está conseguindo lidar sozinha com suas emoções?

 É importante entendermos que na situação atual da pandemia é esperado que as pessoas estejam frequentemente em estado de alerta, preocupadas e com a sensação de falta de controle frente às incertezas do momento. Cada pessoa reage de diferentes formas as situações e acontecimentos, no entanto alguns sinais podem ser observados no comportamento, nas emoções e cognições que podem indicar a necessidade de buscar um profissional, dentre eles podemos destacar:

Sinais Físicos: dores em geral na ausência de um problema de saúde, cansaço ou falta de energia, alterações drásticas no apetite e no padrão do sono;

Sinais emocionais: emoções excessivas e persistentes de tristeza, raiva, culpa ou preocupação, desânimo, irritação;

Sinais comportamentais: discussões e perda de paciência com as pessoas, evitar expressar e compartilhar sentimentos, agitação, aumento ou abuso de substâncias (álcool, remédios, cigarro, drogas, entre outras);

Reportagem – Vocês prestam um apoio psicológico especialmente para esse momento de adaptações pelo qual todos estamos passando, certo? Como podemos diferenciar o apoio e a psicoterapia  propriamente?

O apoio psicológico consiste em um atendimento breve, com uma única sessão ou eventualmente mais algumas, caso haja necessidade, diferenciando-se assim da psicoterapia. O apoio, psicológico, diferente da psicoterapia tem como objetivo exclusivo auxiliar na travessia das dificuldades psicológicas decorrentes desse período, como o estresse inicial causado por situações traumáticas e promover o desenvolvimento de mecanismos de enfrentamento positivos do indivíduo.

Reportagem – Sabemos que vocês acabam recebendo, na própria plataforma, o feedback dos atendimentos. Como vem sendo esse retorno, está dentro do esperado por vocês?

A plataforma que utilizamos para o apoio psicológico possibilita que a pessoa atendida deixe uma avaliação do atendimento realizado ao finalizá-lo. Temos recebido avaliações positivas e além disso, tem sido frequente que pessoas que já foram atendidas entrem em contato novamente para compartilhar as estratégias de enfrentamento adotadas após o apoio psicológico, como também expressar de que forma o apoio as auxiliou.

 

A iniciativa, por hora, ocorre somente on-line e de forma gratuita. Após o período de pandemia, haverá uma reestruturação e complementação do serviço prestado.

A PsicoClin está disponível on-line, de segunda a sexta-feira, das 8h às 20h via chat no site www.fismapsicoclin.com.br

 

Postagens Recomendadas

Deixe um Comentário